A receita é uma sobremesa que tem como protagonista as nossas frutas regionais da Paraíba, em especial o araçá. Quem já comeu goiaba no pé, quem já jogou as sandálias, pedras e etc… nas fruteiras, certamente sabe do que estou falando… Essa sensação de infância perambulando nos sítios e quintais de vizinhos… fiz muito isso… levando “carreira” de cachorro e de vigia do sitio…

Pra quê???

Pegar frutas, lógico!!! Ôoo…  Época boa!

Atualmente, sabemos que essas frutas estão desaparecendo de nosso cotidiano, como a pitanga, por exemplo, o próprio araçá, a mangaba e tantas outras, devido à expansão populacional urbana que impacta diretamente nos espaços outrora ricos dessas frutas de quintais.

Quando criamos ou adaptamos algumas receitas que utilizam elementos da nossa lembrança gustativa, ou elementos muitas vezes esquecidos, praticamos o resgate e a valorização desses produtos. Assim sendo, praticamos a ecogastronomia que, sem maiores intenções, proporciona uma visão articulada, fazendo com que os que preparam e os que provam os alimentos consigam perceber e compreender a relação entre o homem, o alimento e todos os fatores ambientais, culturais e éticos envolvidos no processo de criação alimentar, seus reflexos e consequências oriundas de tais atividades.

Ingredientes 

  • 200g de
  • 3 colheres de sopa de manteiga sem sal
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite, sem soro
  • 2 envelopes de gelatina sem sabor
  • 100g de queijo ricota
  • ½ copo de requeijão

Calda de araçá:

  • 3 xícaras de *araçá, in natura
  • 1 ¼ de xícara de açúcar
  • ½ colher de café de suco de limão

Modo de preparo

Misture os biscoitos triturados com a manteiga derretida, fazendo uma massa homogênea. Em seguida, coloque   a mistura numa forma de aro removível Nº 25 e leve ao forno baixo por, no máximo 10 minutos, ou até a massa ficar seca e crocante (cuidado para não deixar queimar).  Tire do forno e deixe esfriar.

No liquidificador, bata o leite condensado, o creme de leite, a ricota e o requeijão; continue batendo e,  em seguida, despeje a gelatina  já derretida em  banho-maria. Coloque todo o conteúdo na forma e leve-o à geladeira por, no mínimo 4 horas, coberta com papel filme.

Prepare a calda de araçá, colocando os frutos no liquidificador com um pouco de água; peneire tudo e leve ao fogo baixo com o açúcar. Após 15 minutos,  reduza o fogo, coloque o suco de limão e vá reduzindo o fogo  até o ponto de geleia. Deixe  a calda esfriar e despeje-a sobre a torta, levando -a à geladeira por mais 30 minutos. Sirva gelado.

DICA: Caso não ache o araçá, use qualquer dessas frutas: goiaba, cajá, acerola, pitanga, jambo vermelho, umbu-cajá.

 

*Araçá Fazendo parte da mesma família da jabuticaba e da goiaba (família Mirtacea), o araçá é uma fruta que possui espécies variadas. O nome araçá vem do tupi e significa “planta que tem olhos”, em alusão às suas sépalas, que dão a aparência de um olho no fruto. É uma planta arbustiva, cujo fruto tem o sabor bem parecido com o da goiaba, embora seja um pouco mais ácido e com perfume mais marcante. Existem diversas espécies de araçá, sendo as mais comuns o araçá-vermelho, o araçá-de-cora, o araçá-de-praia, o araçá-do-campo, o araçá-do-mato, o araçá-pera, o araçá-rosa e o araçá-piranga.

O araçá é uma fruta pequena, arredondada, com sementes, e a cor de sua polpa varia de acordo com a espécie.

 

 

 

 

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Chef Adilson Santana
Últimos posts por Chef Adilson Santana (exibir todos)