Você já ficou com dúvida na hora de escolher o vinho ideal para acompanhar uma receita? É provável que sim.  De fato, se é verdade que harmonizar comidas e bebidas realça os sabores dos alimentos tornando a experiência gastronômica mais interessante e rica, é verdade, também, que as inúmeras possibilidades de harmonização, por vezes, nos deixam indecisos.

Considerando que harmonizar vai muito além de comer um bom prato acompanhado do nosso vinho preferido, a tarefa acaba nos parecendo difícil. Mas, para quem se interessa pelo assunto e quer fazer boas harmonizações, os especialistas dão algumas dicas interessantes.

É comum ouvirmos que os vinhos tintos vão muito bem com carnes. Entretanto, sabemos que a gama de tintos é bastante diversificada e muito versátil. Assim, eles vão além das carnes. De modo geral, o vinho tinto leve combina com carnes vermelhas, fritas ou grelhadas e, também, com frango, pizza, paella e massas servidas com molhos leves; o tinto encorpado pode ser acompanhado de carnes assadas e, também, por queijos brancos e por queijos duros, como o provolone. Já o tinto seco combina com queijos amarelos, como o parmesão e os diversos frios, além de massas com molho de tomate ou de ervas. Mas, para complicar um pouquinho, um tinto à base de Pinot Noir é uma excelente alternativa para o peixe. Em geral, filé mignon bovino combina muito bem com vinho Pinot Noir e com Beaujolais, costela de boi, com Malbec ou Cabernet Sauvignon, contra filé, e pratos apimentados, com Cabernet Sauvignon e Syrah, churrasco , com Cabernet, Malbec  e Tannat, e carnes vermelhas magras, cordeiro e javali  com Carménère.

Os vinhos brancos, de modo geral, harmonizam com peixes e frutos do mar. Os peixes leves, brancos, as saladas e o sushi, combinam muito bem com os vinhos leves e delicados como o Pinot Grigio italiano. E os peixes mais suculentos, como salmão, pedem vinhos também mais suculentos, como os Chardonnay. Já para acompanhar um delicioso prato japonês, que tal experimentar um Riesling ou um Sauvignon Blanc, argentino ou chileno.

Os vinhos rosés acompanham uma infinidade de pratos. Alguns especialistas os consideram um coringa, isto porque dependendo do corpo do vinho ele combina com carnes brancas, como peixe e frango, verduras, legumes, massas diversas e até mesmo com carnes vermelhas. Não é sem razão que, cada vez mais, são vistos ao lado de canapés, entradinhas e petiscos fritos. Leves e refrescante, também são perfeitos para servir com uma tábua de frios. Vale a pena experimentar um salmão grelhado com um Cerasuolo d’Abruzzo ou um Negroamaro e harmonizar o  Romance Cotes de Provence, com  frituras.

Por fim, o vinho do Porto pode ser servido com frutas secas, bolos, sorvetes e queijos azuis.  Bolos e doces a base de chocolate combinam muito bem com o Porto LBV e as sobremesas a base de queijo, com o Porto Ruby Reserva.

O mais importante é não se deixar limitar. Como quase tudo na vida, o vinho é uma questão de gosto. O melhor a fazer é usar o bom senso, moldando a harmonização ao seu gosto, evoluindo aos poucos e se permitindo novas, e quem sabe surpreendentes, descobertas. No final, o mais importante é que as refeições e degustações sejam ocasiões prazerosas e de confraternização.

 

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Raquel Lima Egypto
Últimos posts por Raquel Lima Egypto (exibir todos)