Mas quer saber o significado de Terroir? Pois bem, este termo francês, de grande importância no mundo do vinho, não possui tradução em Português, nem em nenhum outro idioma. E, mesmo em francês, sua compreensão não é simples. E olha que a palavra terroir data de 1229, uma modificação lingüística de formas antigas – tieroir e tioroer -, com origem no latim popular territorium.

Para simplificar a conversa, foram anos e anos de debates. Finalmente em  junho de 2010 a Organização Internacional da Vinha e do Vinho – OIV, criada em 3 de abril de 2001 em substituição do Office International du Vin, que  já existia desde 29 de novembro de 1924, sucumbiu às pressões e, oficialmente, apresentou a definição para Terroir: “conceito que remete a um espaço no qual está se desenvolvendo um conhecimento coletivo das interações entre o ambiente físico e biológico e as práticas enológicas aplicadas, proporcionando características distintas aos produtos originários deste espaço”.

Ainda difícil de compreender, não?! Mas com calma a gente chega lá. Já deu para entender que se trata de uma região com solo, clima, altitude, chuvas e revelo, propícios ao cultivo de determinada casta de uva. Estes elementos em interação com a atuação do homem no manejo da terra e na produção do vinho definem o terroir, ou seja, uma determinada região produtora, que garante a produção de um tipo de uva, que expressa livremente sua qualidade, tipicidade e identidade em um grande vinho.

Se é correto que o terroir exerce influência na qualidade dos vinhos. Também é verdade que em algumas regiões essa influência é mais marcante, sendo abalizada por estudos e reconhecimento de anos. Um bom exemplo é Bordeaux, na França, onde o uso das uvas tintas Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc, predominam.  Para facilitar o entendimento, vamos analisar apenas a região cortada pelo rio Garonne. Na margem esquerda, os solos são arenosos com cascalho e, na margem direita, a terra tem composição variada. Resultado: as videiras se adaptam de maneira distinta numa e noutra margem. Enquanto a Merlot, predomina na margem esquerda, a Cabernet Sauvignon predomina na margem direita. A importância do terroir é evidente:  o ícone Pétrus, rico, potente, complexo e elegante, é produzido na margem esquerda; e o Château Mouton Rothschild, macio, vigoroso, complexo e harmônico, é produzido na margem direita do rio Garonne. Dois vinhos de excelente qualidade, mais cada um com sua tipicidade e identidade inconfundíveis.

Se ainda não deu para entender totalmente o seu significado, pelo menos ficou claro que terroir é muito mais que uma simples palavra. Trata-se de um conceito completo e complexo, que não se resumi ao tipo de solo onde as uvas são produzidas, como muitos, ainda, pensam.

 

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Raquel Lima Egypto
Últimos posts por Raquel Lima Egypto (exibir todos)