A carne, o fogo, o sal e os amigos, muito pouco mudou desde os tempos em que o homem vivia em cavernas. Dominamos a tecnologia do fogo, descobrimos no sal a mágica do sabor e ali estava nossa estrela principal – A CARNE – como o centro das atenções e de nossa preferência num ritual onde se supriam necessidades físicas e sobretudo psicológicas. Como antes, hoje a carne é para nós motivo de celebração. Muito além dos nutrientes necessários à nossa saúde temos o prazer que ela evoca em todos os nossos sentidos. Seja em ocasiões especiais ou no dia-a-dia é dela o lugar principal à mesa, em volta do qual tudo se organiza desde o escolher, preparar e transformá-la em alegria compartilhada e saciada junto àqueles de nosso apreço.

Tudo comemoramos com um churrasco, a festa que imaginarmos será motivo para “queimarmos uma carninha”. Tomando emprestada a velha máxima que “todo o brasileiro é técnico de futebol”, podemos também dizer que “todo brasileiro é churrasqueiro” cada um com seu segredo, sua arte e seu tempero.

A todos ela seduz e se associa democraticamente seja no condomínio de luxo assada no “chair-broiler” com pedras vulcânicas ou onde quer que estejamos improvisando… nas churrasqueiras de lajotas, roda de fusca ou latão cortado…Enfim, os motivos são diversos e a caverna evoluiu um pouco, mas ainda estão lá – como ha milhares de anos – os amigos, o fogo, o sal e a carne…

Fique de olho na qualidade

 

Mas apesar de sempre presente no decorrer da história, pouco se fala dos riscos e cuidados que devemos ter com as carnes em questões como sua procedência, manuseio, acondicionamento, etc. Hoje, é preciso ficar atento à procedência da carne proveniente de abatedouros, que podem ser clandestinos. Portanto ao comprar qualquer tipo de carne, certifique-se de onde a mesma se origina e o modo pelo qual ela foi processada.

Para você, consumidor, saber como diferenciar uma carne de boa qualidade, que foi processada de um modo correto, de uma carne ruim, com grandes possibilidades de contaminação, aqui vão algumas dicas: atenção ao ambiente e manuseio; Fique atento à temperatura, que deve ficar entre 0°C e 7°C graus para carnes resfriadas e -18°C para as congeladas; verifique se a embalagem protegem o produto de contaminações; dê preferência às embalagens a vácuo; verifique se há selo indicando a proveniência e a marca de Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Chef. João Luiz DelPupo
Últimos posts por Chef. João Luiz DelPupo (exibir todos)